«

»

set 24

Força Minas realiza plenária para discutir os rumos da politica e sindicalismo brasileiro

IMG_0014 [1024x768]

Faltando pouco mais de duas semanas para as eleições, a Força Minas realizou na manhã desta terça-feira (18), uma plenária para discutir a conjuntura política e sindical.  O encontro aconteceu no auditório Femetalminas, no centro de Belo Horizonte, e contou com a participação de lideranças sindicais e candidatos ao pleito deste ano.

Em pauta estavam a reforma trabalhista e seus efeitos, piso salarial estadual, ações do SINDINAPI/MG, decisões da Justiça do Trabalho diante das ações sindicais e a criação de Conselho junto ao Ministério Público para discutir o custeio sindical.

IMG_0008 [1024x768]Presidindo a mesa e conduzindo os trabalhos, o presidente da Força Minas, Vandeir Messias Alves, fez a abertura da plenária destacando a importância de elegermos candidatos comprometidos com os trabalhadores tanto no Congresso Nacional, quanto na Assembleia Legislativa e nos governos estadual e federal.

“Dentro do espirito da pluralidade, contamos com todos aqui presentes para ajudar a eleger representantes comprometidos com a causa trabalhista. Por isso, neste momento precisamos analisar e fazer uma leitura do voto útil”, pontuou.

O presidente da Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos de Minas Gerais (Femetalminas), Ernane Geraldo Dias falou sobre os desafios do sindicalismo. “Na reta final das eleições, precisamos estar alinhados com aqueles que estão apoiando a luta sindical, a luta dos trabalhadores”, frisou.

Por sua vez, Sergio Luís Leite “Serginho”, representando o presidente interino da Força Sindical, Miguel Torres, defendeu a luta de políticos no congresso nacional em prol dos trabalhadores. Segundo Serginho, é preciso reorganizar a luta dos trabalhadores.

“Precisamos ‘misturar’ sindicatos e política, além de eleger candidatos que se comprometam com os trabalhadores e com o movimento sindical. Entendo que não vamos revogar a reforma, mas precisamos fazer reajustes para equilibrar as forças entre empregadores e movimento sindical”, concluiu sua fala.

 

Eleições

 

Na sequência, o presidente da Força Minas, Vandeir Messias Alves, convidou os candidatos para apresentarem suas propostas aos presentes. O primeiro a falar foi o candidato ao senado Dinis Pinheiro (Solidariedade), que defendeu a boa política, pautada pela solidariedade e decência. “O Brasil vai dar certo, mas ainda não encarou com valentia as reformas necessárias, através de crescimento econômico sustentável”, disse.

“É inaceitável termos mais de 14 milhões de desempregados. Quero ser senador para ajudar a mudar este cenário”, completou.

IMG_0017 [1024x768]O candidato a deputado federal José Silva Soares “Zé Silva” (Solidariedade) não pode comparecer, mas foi representado por sua assessoria, para quem ele é uma importante liderança que defende os trabalhadores.

Por fim o candidato a deputado estadual Luís Carlos Miranda (Solidariedade) destacou o momento terrível da história brasileira pelo qual estamos passando. “Sei que estamos indignados com os políticos, mas precisamos ter em mente que nós todos precisamos da política. Dessa forma, devemos buscar uma forma de escolher homens e mulheres que tenham comprometimento com a nossa causa”, frisou.

 

Debate

 

Iniciando o debate, Serginho discursou sobre as negociações salariais. “Os trabalhadores precisam se envolver e entender que a reforma trabalhista é danosa; e para isso devem fortalecer os sindicatos”, defendeu.

Ele também explicou que os sindicatos precisam discutir a representação dos trabalhadores terceirizados, como forma de amenizar os efeitos negativos da terceirização, implantada pela reforma trabalhista.

Já o presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados (Sindnapi), Cosme Jesus da Cunha destacou a má qualidade da saúde oferecida aos idosos e aposentados, além do desrespeito relacionado aos seus direitos.

IMG_0036 [1024x768]Rogério Jorge de Aquino, presidente do Sindicato dos Calçados (Sticalçados BH), fez sua saudação destacando a importância dos trabalhadores apoiarem os sindicatos. Por sua vez, Maria da Graças Carriconde, presidente do Sindicato dos Químicos de Uberaba (Stiquifar), destacou a necessidade de orientar os trabalhadores com relação às escolhas políticas nas eleições.

Na sequência, Carlos Malaquias, presidente do Sindicato dos Tecelões de BH, frisou o fortalecimento dos sindicatos. E por fim, Osanan Gonçalves Santos, presidente do Sindicato do Comércio de Montes Claros, destacou o fato da sobrevivência do sindicato depender dos líderes sindicais. “Os trabalhadores precisam ver que seus direitos estão sendo defendidos. Somente assim, eles irão fortalecer as entidades sindicais”, concluiu. Ao final da plenária, foi aberta a palavra para a plateia fazer suas considerações.